Editoriais 31 artigo(s) cadastrado(s)
Inicial >> Leitura >> Editoriais >> A miopia da televisão
Voltar

A miopia da televisão

Imagem do autor do artigo

Wilton Carlos de Santana

Docente do Curso de Esporte da UEL (PR)

Doutor em Educação Física - UNICAMP (SP)

A 14ª edição da Liga Futsal se iniciou no último dia 04, sábado. São 19 equipes jogando entre si em turno único. Passarão para a próxima fase as 12 mais bem colocadas. Para mais detalhes, acesse o site da própria Liga.

     Pelo visto, o maior desafio dos times de maior investimento será vencer a Malwee, finalista nas quatro últimas edições (05/06/07/08) e vencedora em três oportunidades. Não será nada fácil. Quando me reporto aos times que podem fazer algo mais do que participar da Liga, à semelhança da Malwee, relacionaria os tradicionais, como os gaúchos ACBF, Atlântico, UCS e o catarinense Joinville, já que a Ulbra, vice do ano passado, não participará. Porém, como as equipes andaram se reforçando, podem aparecer surpresas, como os times paulistas que, hoje, ocupam o 3º (Garça), 4º (São Caetano) e 5º (Intelli) lugares na tabela de classificação. Em particular, torço para que o Praia, o Minas e o Umuarama, classifiquem-se para a 2ª fase, o que é bem provável que aconteça. Disse em particular, pois se tratam de equipes que têm treinadores que admiro (Miltinho, Perdigão e Paulinho Cardoso). De qualquer forma, tudo ainda está no início. Boa parte das equipes sequer estreou. Tudo ainda está por vir.

     Em se tratando das transmissões televisivas, me chamou à atenção a preferência pelos jogos de equipes de camisa, como Vasco, São Paulo e Corinthians. Neste mês, os quatro jogos transmitidos pelo SPORTV envolvem um desses times.

 

“Em futsal, nem sempre o time de camisa é o que apresenta o melhor jogo. Em 2008, o Vasco foi o último colocado e o São Paulo o 18º”.

   

  Em agindo assim, a televisão se interessa pelo valor mercadológico do jogo e despreza a qualidade do encontro. Isso, de ter os times de camisa, pode funcionar no futebol, evidentemente. Em futsal, tenho minhas dúvidas. Seria a melhor estratégia para se angariar patrocinadores e telespectadores para o futsal? Não estou aqui menosprezando o trabalho dessas equipes e de seus treinadores, por favor, mas apenas alertando que, em futsal, nem sempre o time de camisa é o que apresenta o melhor jogo. Por exemplo, o Vasco, em 2008, foi o último colocado, o São Paulo o 18º, e o São Caetano, que neste ano tem a parceria com o Corinthians, o 15º. Portanto, nenhum deles passou à 2ª fase da competição. Em contrapartida, os quatro times mais bem classificados (semifinalistas) foram Malwee (campeão), Ulbra (vice), UCS e Carlos Barbosa.

     Eu apostaria no contrário do que a televisão faz. Mostraria os jogos dos melhores times, sem levar em consideração a camisa que vestem. Investiria na qualidade do jogo, que resulta da interação do talento de jogadores e de treinadores. Se ela não o fizer agora, na fase inicial, o fará mais para frente, quando a Liga afunilar. É inevitável. O que me faz crer que o futsal é um “produto” que interessa à televisão independentemente dos times de camisa e, por isso, a crítica à preferência pelos jogos dos “grandes”.

 

Enviar para amigo

Enviar

para um amigo

Adicionar um comentário

Comentar

adicionar comentário

Todos comentários

0 comentário(s) cadastrado(s)

Publicidade

Ensinando 2
Ensinando futsal para crianças 1 p
DVD - Análises táticas

Parceiros

Enviar para um amigo

Remetente

Destinatário