Treinamento 36 artigo(s) cadastrado(s)
Inicial >> Leitura >> Treinamento >> A defesa de contra-ataque
Voltar

A defesa de contra-ataque

Imagem do autor do artigo

Wilton Carlos de Santana

Docente do Curso de Esporte da UEL (PR)

Doutor em Educação Física - UNICAMP (SP)

A defesa de contra-ataque ou de temporização corresponde ao momento de transição defensiva, isto é, quando os atacantes se convertem em defensores e buscam se organizar o mais rápido possível, a fim de recuperar o equilíbrio momentaneamente perdido.

Portanto, se quando da perda da posse da bola os jogadores se encontrarem desorganizados e iniciarem movimentos defensivos para se organizarem, se admite a fase de transição defensiva. Esta dura desde o momento em que a equipe perde a bola até o momento em que ela consegue estabilizar ou não o ataque.

Para dar conta disso, os jogadores que estavam à frente da linha da bola quando esta foi perdida retornam e, se for o caso, aqueles que se encontrarem atrás da linha da bola executam a temporização.

Entenda o que essas atitudes táticas representam e significam para organizar a defesa de contra-ataque.

As ações defensivas de retorno e de temporização representam a fase de estabilização, na qual a equipe defensora procura nivelar ou neutralizar as possíveis vantagens da equipe que contra-ataca.

O retorno defensivo é a atitude de correr o mais rápido possível até a meta própria. A corrida deve ser efetuada também de modo que a bola possa ser vista e os deslocamentos do adversário seguidos continuamente.

Figura 1 – Retorno defensivo dos jogadores à frente da linha da bola

 

Preste atenção nisto: o retorno será favorecido pelo balanço defensivo, que tem a ver com a "atitude de se atacar já se preocupando em se defender". O balanço defensivo, ao adiantar o goleiro e manter algum jogador por trás da linha da bola, asseguraria certa estabilidade defensiva se, eventualmente, o ataque falhar e se iniciar um contra-ataque.

Diz-se que há uma temporização quando um jogador simula atacar o portador da bola e se desloca rapidamente para a sua meta, não se decidindo de forma clara nem por uma situação (atacar a bola), nem por outra (retornar à defesa).

Figura 2 – Temporização dos jogadores atrás da linha da bola e retorno

 

Ao temporizar, o defensor consegue que os atacantes duvidem do que fazer, e é exatamente isso que permitirá o retorno de seus companheiros e, por último, a organização defensiva.

A temporização pretende ganhar tempo para que os jogadores que atuam na defesa ocupem ou voltem às suas posições defensivas. Em definitivo, a temporização é a atitude que o jogador mais próximo ao possuidor da bola realiza para dar tempo a um retorno dos companheiros.

Respeitadas essas atitudes essenciais, diria que a defesa de contra-ataque estará organizada. Mas há mais coisas envolvidas para o êxito nessa situação de jogo, como, por exemplo, (a) tirar o chute frontal do atacante, (b) evitar ficar em linha no caso de haver dois defensores e (c) realizar deslizes caso não se consiga chegar equilibrado para defender.

Anote aí: tirar o chute frontal significa ficar na frente de quem contra-ataca, sobretudo, se ele estiver no centro da quadra, onde o ângulo de chute é maior; evitar ficar em linha é a atitude de um dos defensores adiantar-se e do outro recuar, aumentando, desse modo, as linhas a serem batidas pelos atacantes; realizar deslizes tem a ver com a atitude de o defensor que retorna, ao perceber que não chegará equilibrado, lançar-se no chão, de modo a cortar um possível passe para um atacante em vantagem posicional.

Enviar para amigo

Enviar

para um amigo

Adicionar um comentário

Comentar

adicionar comentário

Todos comentários

0 comentário(s) cadastrado(s)

Publicidade

DVD - Análises táticas
Ensinando futsal para crianças 1 p
Ensinando 2

Parceiros

Enviar para um amigo

Remetente

Destinatário