Treinamento 70 arquivo(s) cadastrado(s)
Inicial >> Leitura >> Treinamento >> Comentar
Voltar

A defesa de contra-ataque

Imagem do autor do artigo

Wilton Carlos de Santana

Docente do Curso de Esporte da UEL (PR)

Doutor em Educação Física - UNICAMP (SP)

A defesa de contra-ataque ou de temporização corresponde ao momento de transição defensiva, isto é, quando os atacantes se convertem em defensores e buscam se organizar o mais rápido possível, a fim de recuperar o equilíbrio momentaneamente perdido.

Portanto, se quando da perda da posse da bola os jogadores se encontrarem desorganizados e iniciarem movimentos defensivos para se organizarem, se admite a fase de transição defensiva. Esta dura desde o momento em que a equipe perde a bola até o momento em que ela consegue estabilizar ou não o ataque.

Para dar conta disso, os jogadores que estavam à frente da linha da bola quando esta foi perdida retornam e, se for o caso, aqueles que se encontrarem atrás da linha da bola executam a temporização.

Entenda o que essas atitudes táticas representam e significam para organizar a defesa de contra-ataque.

As ações defensivas de retorno e de temporização representam a fase de estabilização, na qual a equipe defensora procura nivelar ou neutralizar as possíveis vantagens da equipe que contra-ataca.

O retorno defensivo é a atitude de correr o mais rápido possível até a meta própria. A corrida deve ser efetuada também de modo que a bola possa ser vista e os deslocamentos do adversário seguidos continuamente.

Figura 1 – Retorno defensivo dos jogadores à frente da linha da bola

 

Preste atenção nisto: o retorno será favorecido pelo balanço defensivo, que tem a ver com a "atitude de se atacar já se preocupando em se defender". O balanço defensivo, ao adiantar o goleiro e manter algum jogador por trás da linha da bola, asseguraria certa estabilidade defensiva se, eventualmente, o ataque falhar e se iniciar um contra-ataque.

Diz-se que há uma temporização quando um jogador simula atacar o portador da bola e se desloca rapidamente para a sua meta, não se decidindo de forma clara nem por uma situação (atacar a bola), nem por outra (retornar à defesa).

Figura 2 – Temporização dos jogadores atrás da linha da bola e retorno

 

Ao temporizar, o defensor consegue que os atacantes duvidem do que fazer, e é exatamente isso que permitirá o retorno de seus companheiros e, por último, a organização defensiva.

A temporização pretende ganhar tempo para que os jogadores que atuam na defesa ocupem ou voltem às suas posições defensivas. Em definitivo, a temporização é a atitude que o jogador mais próximo ao possuidor da bola realiza para dar tempo a um retorno dos companheiros.

Respeitadas essas atitudes essenciais, diria que a defesa de contra-ataque estará organizada. Mas há mais coisas envolvidas para o êxito nessa situação de jogo, como, por exemplo, (a) tirar o chute frontal do atacante, (b) evitar ficar em linha no caso de haver dois defensores e (c) realizar deslizes caso não se consiga chegar equilibrado para defender.

Anote aí: tirar o chute frontal significa ficar na frente de quem contra-ataca, sobretudo, se ele estiver no centro da quadra, onde o ângulo de chute é maior; evitar ficar em linha é a atitude de um dos defensores adiantar-se e do outro recuar, aumentando, desse modo, as linhas a serem batidas pelos atacantes; realizar deslizes tem a ver com a atitude de o defensor que retorna, ao perceber que não chegará equilibrado, lançar-se no chão, de modo a cortar um possível passe para um atacante em vantagem posicional.


Enviar para amigo

Enviar

para um amigo

Adicionar um comentário

Comentar

adicionar comentário

Comentar
Adicionar comentário com no máximo caracteres
Todos comentários

0 comentário(s) cadastrado(s)

Publicidade

70 Contextos P
Ensinando 2
DVD - Análises táticas

Parceiros

Enviar para um amigo

Remetente

Destinatário